BOCA 2017

0
221

Primeiramente quero dar um imenso PARABÉNS ao Thiago Marques, Wilkson Gondim, Marcos André, Hayssa Shneider e Paulo Diógenes que prepararam uma festa ímpar para uma classe de artistas tão discriminada e por que não dizer, ainda marginalizada. Sabemos que já foi bem mais rechaçada, mas graças à Deus passamos por uma fase de tolerância e formação de platéia durante a boate Divine que trouxe bons lucros à arte transformista (drag, trans e caricata).

Contudo, vejo um enorme esfacelamento de toda uma luta, de todo um trabalho, com o aumento desse fundamentalismo, com o uso de entorpecentes, com o descaso do público que nos assiste. Vi na festa de sábado um suspiro de arte e glamour artístico no palco do José Walter, mas devemos fazer um estudo do por quê que a platéia não está nos valorizando de fato ou será que criamos muitas expectativas? Penso que deva haver uma reunião com os dirigentes desse movimento para reavaliar os pontos positivos e negativos e tomar as rédeas dessa arte que está forte no coração de muitos, mas carente no coração de vários.

Vi muita organização na premiação e sinto que é aquele trabalho, aquele esforço de sábado que vai fazer o público retornar. Queremos, arte, diversão, glamour e beleza sim e pra tudo isso se faz necessário uma gestão pé no chão, que não se preocupe apenas consigo mesma, mas com o todo. Vamos parar de olhar para o próprio umbigo e crescer juntos. Precisamos de pessoas como vocês que fizeram o Troféu O BOCA Ceará 2017, Noite das Coroadas, no comando. Parabéns mais uma vez e obrigada!