MÉDICO UROLOGISTA FALA SOBRE PREVENÇÃO AO CÂNCER DE PRÓSTATA E QUEBRA TABU

0
87

Em entrevista ao jornal Primeira Página o urologista Ultrassonografista Leonardo de Souza Piber, tirou duvidas sobre o câncer de próstata e quebrou alguns tabus que ainda fazem com que os homens “fujam” do exame. Ele é membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia e do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem.

O câncer de próstata é considerado o segundo tipo que mais atinge os homens no Brasil, com mais de 13 mil mortes por ano. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, em 2016, foram registrados mais de 61 casos no Brasil. Ainda de acordo com o instituto, considerando que cerca de três quartos dos casos no mundo aconteceram em pessoas com idade a partir dos 65 anos.

Sintomas
De acordo com urologista Leonardo Piber, o câncer de próstata não possui sintomas a depender do estágio da doença. “Em estágio inicial é assintomático, ou seja, não apresenta sintomas. Por isso, a importância da prevenção e das campanhas incentivando o diagnóstico em estágio precoce ou inicial. Por outro lado, este diagnóstico em estágio avançado, pode apresentar sintomas e sinais que dependerão do grau de comprometimento local, regional e sistêmico, como por exemplo, queixas urinárias, sangramento na urina, dor pélvica e dor óssea”, esclarece.

Prevenção
O urologista indica que o homem inicie a realização dos exames de prevenção aos 50 anos de idade. Mas se já houver casos na família, a idade muda.  “Quando há história familiar de câncer de próstata (pai, tio, irmão ou avô), deve ter início a partir dos 45 anos”, recomenda.
Leonardo lembra ainda que em casos de afrodescendentes e obesos deve-se iniciar os exames a partir dos 45 anos, pois estes são suscetíveis a cânceres em idade mais precoce e são mais agressivos.

“A prevenção, através dos exames, é importante porque quanto mais cedo for diagnosticado o câncer, mais inicial será a doença e maiores serão as chances de cura. Pouco se sabe sobre o que fazer para de fato prevenir o câncer de próstata; porém, hábitos saudáveis de controle de peso, evitando a obesidade, e o aumento da ingestão de licopeno (através do tomate ou de comprimidos) são citados como medidas interessantes em várias pesquisas”, finaliza.

Exames
Existem dois tipos de exame que são utilizados no diagnóstico ou prevenção do câncer de próstata. São eles PSA (exame de sangue) e o toque retal. O médico Leonardo Piber informou que é sim necessário passar pelos dois métodos, já que existem argumentos em que só há necessidade no exame de toque caso o de sangue apresente alguma alteração.

“O checape é composto do toque retal associado à dosagem do PSA (exame de sangue). Deve-se passar pelos dois exames, pois quando juntos aumentam-se as chances do diagnóstico precoce em mais de 90% dos casos”, explica.

Leonardo explicou ainda como é realizado cada um dos exames. “O toque retal faz parte do exame clínico urológico. O médico treinado, sendo urologista ou não, examina a próstata com o dedo através do ânus. Este exame é geralmente realizado com anestésico tópico no local e demora menos de um minuto. O PSA é dosado no sangue, ou seja, é coletada uma amostra de sangue no laboratório. É praticamente indolor e pode ser realizado junto com outros exames de checape, como glicemia, colesterol, entre outros”, finaliza.

Tratamento
De acordo com Leonardo, as formas são: cirurgia – prostatecnomia radical, radioterapia, braquiterapia e hormonioterapia.
Em caso de diagnóstico precoce, ele deixa claro que as chances de cura são de 80% a 90%. Já em caso de estágio avançado, a chance cai para 10% e 20%. Mesmo diante desses dados, o índice de sobreviventes ao câncer de próstata chega a 96% dos pacientes.

E para finalizar, o médico urologista e Ultrassonografista Leonardo Piber afirmou que “Não há relação entre toque retal e alteração na potência sexual ou na masculinidade. De fato, este tabu atrapalha as campanhas de prevenção e a iniciativa dos homens de quererem procurar assistência médica. Não há por que ter vergonha ou receio do exame. Acreditamos que a preocupação com a saúde deva ser maior e que ela supere tabus, vergonhas e receios infundados”.

Novembro Azul foi criado para incentivar prevenção à doença

A campanha Novembro Azul foi criada em 2011, no Brasil, pelo Instituto Lado a Lado pela Vida e passou a ser permanente a partir do dia 1º de novembro do mesmo ano, visando contemplar a saúde integral do homem. Ela tem o intuito de alertar e orientar a população masculina sobre o câncer de próstata.

O mês da campanha foi escolhido devido ao Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata comemorado no dia 17 de novembro. O movimento surgiu na Austrália, em 2003, se chamando Movember.

Durante todo o mês, são realizadas diversas ações que promovem a campanha e alertam os homens aos cuidados com a saúde e prevenção dessa doença. No Tocantins, são realizadas corridas, diversas unidades de saúde promovem atividades para os homens, entre tantas outras atividades.

Fonte Jornal Primeira Página